Definição

Hérnia incisional (HI), é a hérnia que aparece no local de uma incisão cirúrgica prévia. As hérnias incisionais decorrem da separação precoce da fáscia muscular no pós-operatório, em geral sub-clínica. Durante os primeiros dias de pós-operatório (0-30 dias), a resistência da ferida à tração é menor, resultando em forte dependência da integridade da sutura. Os seguintes fatores podem contribuir para o aparecimento de hérnias incisionais: desnutrição, uso de corticosteroides, anemia, doenças crônicas, tosse crônica e, principalmente, infecção da ferida cirúrgica, obesidade e tabagismo.

Sintomas

O paciente, geralmente, apresenta queixa de dor ou tumefação na região da incisão cirúrgica associada a um aumento de volume no local. Assim como nas demais hérnias abdominais, os sintomas se acentuam quando o paciente faz atividade física/contração do abdome e desaparecem com o repouso.

Diagnóstico

Na maioria dos casos o diagnóstico é simples, baseado na história do paciente. Entretanto, a presença da incisão/fibrose no local pode trazer dificuldade ao diagnóstico. Neste caso, cada vez mais se recomenda a realização de tomografia abdominal, tanto para o diagnóstico quanto para o entendimento preciso do tamanho da hérnia, conteúdo herniário e presença de múltiplos defeitos. Estas informações são essenciais para o planejamento cirúrgico.

Complicações

As hérnias incisionais estão associadas à risco de encarceramento e estrangulamento do conteúdo herniário. Nos casos em que o intestino (normalmente intestino delgado) está estrangulado, pode evoluir com isquemia e necrose. Nestas situações pode ser necessário ressecção de parte do intestino, o que aumenta a complexidade e o risco de complicações pós-operatórias.

Tratamento

O tratamento consiste no reparo cirúrgico. O reparo por sutura simples tem elevadas taxas de recorrência (12%-54%). A utilização das próteses (telas) para assegurar a força da parede abdominal sem tensão, diminuiu significativamente a taxa de recorrência das HI. Atualmente, recomenda-se a utilização de telas em todos os casos de pacientes com hérnias incisionais ou recidivadas que vão ser operados.

Cirurgia laparoscópica

Com os avanços da cirurgia minimamente invasiva na década de 1990, o reparo laparoscópico das hérnias incisionais ganhou popularidade. A abordagem laparoscópica utiliza o espaço intraperitoneal para colocar a prótese, diretamente no peritônio da parede abdominal anterior, minimizando a quantidade de dissecção dos tecidos moles necessária para atingir adequada sobreposição da tela.

As vantagens da abordagem laparoscópica são: menor risco de complicações de ferida operatória e infecção da tela, menor tempo de internamento, melhor resultado estético, retorno mais precoce as atividades e maior grau de satisfação dos pacientes. As principais limitações são: a necessidade de anestesia geral, risco de lesões intra-abdominais e maior custo direto do procedimento (relacionado ao uso de telas não aderentes e grampeadores para fixação).